segunda-feira, 30 de março de 2015

Aproveitando o dia

Não tenho muitas certezas na vida.
E quanto mais vivo, mais me dou conta do quão frágil é a vil existência.

Ninguém é igual a ninguém.
Com isso, vem a percepção de que alguns se julgam mais ou menos afortunadas do que outras.

Particularmente, acho temerário agradecer ao Criador, ou ao cosmos, ou até mesmo ao acaso, por se ter nascido saudável, enquanto outros não; por se ter o que comer, enquanto outros não… Como se umas pessoas fossem mais merecedoras do que outras.

Nenhum de nós sabe o dia de amanhã, e tudo o que se tem hoje pode nos ser tirado da noite para o dia, como se nunca tivéssemos tido. Num desses ocasos da vida, em que tudo muda.